Turn Me On - De Frankenstein ao Futurismo

Pois é pessoas, nosso querido Gue-Guetta mal saiu do Titanium com a Sia e já está latente lançando seu single com a Nicki Minaj, o fervoroso Turn Me On.

Tenho que confessar que fiquei muito satisfeito com o álbum Noting But The Beat. Músicas bem produzidas aliadas a parcerias muito bem sucedidas foram os ingredientes para que ele conseguisse a proeza de me fazer escutar um álbum inteiro sem passar nenhuma música( juro que num tenho esse costume!). Artistas consagrados como Chris Brown, Jennifer Hudson, Sia, Flo Rida, Timbaland, Dev, Jessie J e a própria Nicki Minaj  participaram deste trabalho com o DJ.

O clipe foi lançado este mês e, mais do que os outros que eu já gostava, me chamou muita a atenção. Não só como vídeo musical, mas também como um reflexo de influências do mundo. E, não tendo como desviar, tive que fazer um paralelo entre as influências do clipe e o mundo da moda.


No clipe David vira um cientista e a Nicki uma espécie de ciborgue, fazendo alusão ao futurismo e ao clássico conto de terror Frankenstein. Depois de refletir as imagens, não deixei de imaginar que hoje o futurismo vêm sendo um tema rediscutido. Com o avanço da tecnologia, que invade não só o campo de estudos científicos mais em tantos outros setores da sociedade, o futuro da humanidade deixou de ser uma discussão de um círculo fechado para tornar-se um assunto demonstrado em clipes musicais e até desfiles de moda.


Sabe o que é curioso? Que a cada momento o tema nasce com uma visão diferente do modo como nosso futuro se tornará concreto. Antes, imaginávamos um futuro cheio de metal, máquinas, cinza e design contemporâneo. O lançamento do filme Avatar, em 2009, desconstruiu essa ideia e mostrou que o futuro vem de seres biologicamente avançados, em um mudo parecido com o nosso, só que preservado e selvagem.

Note como isso se refletiu na moda e na sociedade, quando o estilista Alexander McQueen fez um desfile onde o futurismo respirou esse ar novo, com composições menos metálicas e a favor de cores e leveza, sem deixar o ar psicodélico e imaginário que reina no futurismo. A coleção foi muito aclamada, e até a Mother Monster Lady Gaga usou um dos looks de McQueen no clipe Bad Romance.



Mas quem disse que o Futurismo na moda é algo recente? Que nada! Na década de 50 e 60 Pierre Cardin, Paco Rabanne e Courrèges foram os estilistas que trabalharam o tema em suas coleções, e arrisco dizer que Cardin acertou em cheio: Uma das imagens que não sai da minha mente é esta aí de cima, onde mostra uma coleção criada pelo estilista em cima do pensamento futurista. Acho incrível como as composições não me parecem nem um pouco antigas. Ele conseguiu criar looks que preservam a ideia do "olhar para frente", e que vistas por pessoas de hoje  não parecem uma ideia distante do que se sugere acerca do movimento futurista.


Hoje em dia, o futurismo tornou-se tema recorrente e sinônimo de sensualidade, estilo e pensamento ousado. Grandes labels como Gucci, Burberry, Julien MacDonald entre muitos outros aliaram suas coleções aos ideais futuristas, garantindo peças com um design significativo: metalizados, texturas, desconstrução, tecidos sintéticos e maquiagens exóticas. O grande barato é você aderir sem se tornar caricato.



Por  Nicolas Óliver.

Penulis : Nicolas Oliveira ~ Sebuah blog yang menyediakan berbagai macam informasi

Artikel Turn Me On - De Frankenstein ao Futurismo ini dipublish oleh Nicolas Oliveira pada hari quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012. Semoga artikel ini dapat bermanfaat.Terimakasih atas kunjungan Anda silahkan tinggalkan komentar.sudah ada 2 komentar: di postingan Turn Me On - De Frankenstein ao Futurismo
 

2 comentários: